A Força da Oração, Mística e Espiritualidade – Refletindo o quinto exemplo bíblico.

5.5.1. QUINTO EXEMPLO – EVANGELHO DE JOÃO, CAPITULO 8, VERSÍCULOS DE 1 A 11

1 Mas Jesus foi para o Monte das Oliveiras.

2 Pela manhã cedo voltou ao templo, e todo o povo vinha ter com ele; e Jesus, sentando-se o ensinava.

3 Então os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e pondo-a no meio, 4 disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério.

5 Ora, Moisés nos ordena na lei que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?

6 Isto diziam eles, tentando-o, para terem de que o acusar. Jesus, porém, inclinando-se, começou a escrever no chão com o dedo.

7 Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse-lhes: Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra.

8 E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.

9 Quando ouviram isto foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, até os últimos; ficou só Jesus, e a mulher ali em pé.

10 Então, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém senão a mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?

11 Respondeu ela: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu te condeno; vai-te, e não peques mais.

5.5.2. REFLETINDO SOBRE A ORAÇÃO, MÍSTICA E ESPIRITUALIDADE – NO QUINTO EXEMPLO

Na passagem bíblica descrita acima a mulher vai ser apedrejada. É tida como pecadora, marginalizada e discriminada. Está diante de Jesus e não é por acaso. É claro que não estava ali como uma pessoa religiosa buscando Deus naquele momento para responder os seus anseios como fez o moço rico do evangelho que analisamos anteriormente. Estava por uma circunstância totalmente adversa a sua vontade para ser apedrejada e morta. Como o povo diz “há males que vem para o bem”. Ai algo de bom acabou acontecendo em sua vida que a transformou. De uma situação totalmente adversa, humilhante, vexatória, preconceituosa, inesperadamente surge uma experiência de Deus muito de diferente das outras citadas nos exemplos bíblicos anteriores até aqui.

Mesmo não se preparando e nem esperando o encontro com Deus, este aconteceu. Ela não estava num ambiente religioso (lugar sagrado, etc.) e nem clima propício para a mística havia ali. No entanto aconteceu. A oração não ocorre, mas a experiência de Deus se deu assim mesmo. Deus ouviu esta mulher de outro jeito, e falou com ela numa circunstância nada religiosa. Mas Deus pode nos comunicar em todas as circunstâncias da vida e em qualquer lugar. Isso não significa desprezo aos lugares sagrados e nem aos momentos de orações comunitárias como nas práticas religiosas comuns em toda religião.

Não vou fazer de um exemplo bíblico uma norma geral para todas as pessoas experimentar Deus. Só quero mostrar que Deus vai muito além de tudo: templos, e nossas instituições religiosas.

Numa situação dessas, num ambiente desses, ouve a experiência de Deus para essa mulher. Há uma atitude de Jesus em seu favor protegendo sua vida, salvando-a da morte. Então ela sente segurança em Jesus e reconhece o seu amor. A partir daí se transforma.

O seu coração sente a ação de Deus tão forte, ele a socorreu, que começa sua espiritualidade, sua transformação numa vida no amor de Deus. Muitos hoje também podem sentir em situações semelhantes, de muito impacto, de ameaças, de violência, a ajuda forte, um socorro de uma mão cristã a ampará-lo e também se transformar.

 

Referência Bibliográfica:
O texto foi tirado do livro: A Força da Oração, Mística e Espiritualidade de autoria de Pe. Emanuel Cordeiro Costa. Pagina 50-51. Fundação Biblioteca Nacional – Registro: 512.640 – Livro 971 Folha: 477.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *