A Força da Oração, Mística e Espiritualidade – Refletindo o sexto exemplo bíblico.

5.6.1. SEXTO EXEMPLO – ATOS DOS APÓSTOLOS CAPÍTULO 9, VERSÍCULOS DE 1 A 25
                1 Saulo, porém, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote, 2 e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, caso encontrasse alguns do Caminho, quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.

3 Mas, seguindo ele viagem e aproximando-se de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu; 4 e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

5 Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? Respondeu o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues;

6 mas levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te cumpre fazer.

7 Os homens que viajavam com ele quedaram-se emudecidos, ouvindo, na verdade, a voz, mas não vendo ninguém.

8 Saulo levantou-se da terra e, abrindo os olhos, não via coisa alguma; e, guiando-o pela mão, conduziram-no a Damasco.

9 E esteve três dias sem ver, e não comeu nem bebeu.

10 Ora, havia em Damasco certo discípulo chamado Ananias; e disse-lhe o Senhor em visão: Ananias! Respondeu ele: Eis-me aqui, Senhor.

11 Ordenou-lhe o Senhor: Levanta-te, vai à rua chamada Direita e procura em casa de Judas um homem de Tarso chamado Saulo; pois eis que ele está orando; 12 e viu um homem chamado Ananias entrar e impor-lhe as mãos, para que recuperasse a vista.

13 Respondeu Ananias: Senhor, a muitos ouvi acerca desse homem, quantos males tem feito aos teus santos em Jerusalém; 14 e aqui tem poder dos principais sacerdotes para prender a todos os que invocam o teu nome.

15 Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome perante os gentios, e os reis, e os filhos de Israel; 16 pois eu lhe mostrarei quanto lhe cumpre padecer pelo meu nome.

17 Partiu Ananias e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo.

18 Logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista: então, levantando-se, foi batizado.

19 E, tendo tomado alimento, ficou fortalecido. Depois demorou-se alguns dias com os discípulos que estavam em Damasco; 20 e logo nas sinagogas pregava a Jesus, que este era o filho de Deus.

21 Todos os seus ouvintes pasmavam e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam esse nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais sacerdotes?

22 Saulo, porém, se fortalecia cada vez mais e confundia os judeus que habitavam em Damasco, provando que Jesus era o Cristo.

23 Decorridos muitos dias, os judeus deliberaram entre si matá-lo.

24 Mas as suas ciladas vieram ao conhecimento de Saulo. E como eles guardavam as portas de dia e de noite para tirar-lhe a vida, 25 os discípulos, tomando-o de noite, desceram-no pelo muro, dentro de um cesto.

5.6.2. REFLETINDO SOBRE A ORAÇÃO, MÍSTICA E ESPIRITUALIDADE – NO SEXTO EXEMPLO
Na conversão de São Paulo vemos sim algo de maravilhoso, extraordinário e uma manifestação de sentimento mais forte com queda no chão.

Na descrição, fala que Paulo até então chamado Saulo, foi cercado por uma luz vinda do céu. Caiu por terra. Ouviu uma voz que lhe dizia. Ele pergunta de quem é a voz. E tem a resposta que é Jesus. Perde a visão por três dias e ficou sem comer e nem beber.

Paulo se sente tocado por Deus: Luz! Moisés na sarça que queima que sente a presença de Deus.

Na oração conversamos com Deus e ouvimos sua voz. Paulo aqui ouvia a voz de Deus que o questiona: por que me persegue? Persegui os irmãos, cometer violência contra eles é o mesmo que fazer isso com Deus, pois se faz presente no irmão. A  partir desta compreensão vai brotar a mística de Paulo e sua espiritualidade. Que não vai consistir num simples encontrei Jesus cheio de um *sentimentalismo histérico para dizer tenho fé… Houve uma transformação total em sua vida, encontrou Jesus nos irmãos que perseguia tendo que fazer uma mudança radical, tanto assim que passa de perseguidor a perseguido. Não foi uma conversão de *fanatismo, e sim entrega ao reino de Deus. Entrega total, de muito amor a Jesus, coisa que muitas vezes falta no fanático que fica num anúncio cheio de chatice e aborrecimento, vaidade e ar de superioridade doentio para querer mostrar sua conversão e seu anúncio. Paulo dá sua resposta sincera a Deus e muda de vida e uma mudança radical. Torna-se missionário. Na espiritualidade há uma mudança profunda em nosso caminhar como houve na vida de São Paulo.

Mesmo sendo maravilhoso o que acontece a Paulo, com luz, queda no chão, ouvir uma voz, e perde temporariamente a visão. Dai para frente não faz disso uma sessão religiosa semanal para ficar tendo *êxtase e sim vai encontrar como missionário Cristo na dureza da missão que empreende passando por situações adversas e vencendo-as com uma experiência de Deus nas cruzes que carrega pelo caminho.

 

Referência Bibliográfica:
O texto foi tirado do livro: A Força da Oração, Mística e Espiritualidade de autoria de Pe. Emanuel Cordeiro Costa. Pagina 52-54. Fundação Biblioteca Nacional – Registro: 512.640 – Livro 971 Folha: 477.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *