MODOS DE REZAR

Oração Vocal
                A própria expressão “oração vocal” já diz seu significado:
Quando nos dirigimos a Deus usando a nossa voz seja espontaneamente, seja recitando as orações ou com cânticos.
É claro que quando usamos a voz nosso corpo também acompanha com gestos o que estamos dizendo ou cantando.

Oração Silenciosa
                No silêncio de nosso coração e nossa mente nos dirigimos a Deus ouvindo o que ele nos fala e falamos no silêncio de nosso coração com o amor que tributamos ao divino.

Meditação
                Diante de Deus temos uma profunda reflexão. Refletimos sobre o amor de Deus e sobre a Vida. Perguntamos sobre o porquê das coisas e como realizá-las. Na meditação ha uma concentração maior de nosso espírito a divindade.

Oração Mental
                Não usando as palavras, nos entregamos inteiramente a vontade do nosso Deus, nos esvaziando um pouco de nós mesmos, nos enchendo do seu amor.
Nela, como em todo modo de rezar nos entregamos inteiramente nossa vida nas mãos da bondade Infinita de Deus.

Celebração
                  Ao celebrar nos reunimos como irmãos. Portanto nesse momento a oração toma uma dimensão comunitária com os seus ritos e também símbolos. Para nós católicos o momento central de nossa celebração é a eucaristia. Mas temos também as celebrações dos outros sacramentos e *sacramentais. Em todos esses momentos celebramos nossa fé por meio de ritos e orações o nosso encontro comunitário com o Deus Uno e Trino.

Conclusão.
                 Vale aqui, o mesmo que dissemos quando concluímos nossa reflexão sobre tipos de orações.
Além dos modos de rezar mencionadas acima, o ser humano é muito criativo para criar os modos os mais diversos possíveis para expressar seu amor a Deus. E lembramos que os modos aqui mencionados não têm nunca a preocupação de esgotar o assunto, principalmente levando em conta que foi uma classificação pequena e resumida que fiz.
O mais importante não esta em classificar modos e sim fazer da nossa oração um momento de comunhão com o criador seja qual for o modo de oração que fizermos.

 

Referência Bibliográfica:
O texto foi tirado do livro: A Força da Oração, Mística e Espiritualidade de autoria de Pe. Emanuel Cordeiro Costa. Pagina 21-22. Fundação Biblioteca Nacional – Registro: 512.640 – Livro 971 Folha: 477.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *