“Acabou-se o que era doce”

               “Como toda criança e alguns adultos gostam de doce, essa expressão é uma forma delicada de negar aquilo que pediram, ou dizer que terminou aquilo que a pessoa estava gostando tanto. É uma maneira menos agressiva de dizer um retumbante NÃO. Exemplos: acabou-se as férias, o carnaval, o namoro, o dinheiro, etc.” (Site: Cultura Popular). Devemos aprender o que muitos têm capacidade de fazer, que é dar um NÃO educadamente, de maneira simpática. Quem compreende o significado desse dito: “Acabou-se o que era doce”, faz isso. Infelizmente tem pessoas que é franca demais, fala a verdade de maneira nua e crua para o outro. O que ofende e machuca. Há como a verdade ser dita, usarmos de franqueza, sem rebaixar o outro e humilhá-lo. Se a sabedoria popular nos ensina a fazer isso por meio de ditos que são cheios de sabedoria e conhecimento, porque não os vivenciar?  “Acabou-se o que era doce”, é um não. Porém sem agressividade para não atender um pedido ou encerrar aquilo que prazerosamente todos estavam fazendo. Muito fácil de aprender e muito fácil de ensinar, e todos nós dentro de nossa cultura sem percebermos aprendemos esses ensinamentos e os transmitimos.

 

                Pe. Emanuel Cordeiro Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *