Abertura da CF 2018,na Região Pastoral 2, da Diocese de Itabira- Coronel Fabriciano

Domingo, 18 de fevereiro de 2018, 1º da Quaresma, nos reunirmos como família , povo de Deus comprometido com a construção do Reino , chamado a constituir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência .Em sintonia com os demais regionais de nossa Diocese de Itabira- Coronel Fabriciano, realizamos oficialmente a abertura dos trabalhos da Campanha da Fraternidade 2018 que traz como tema : Fraternidade e superação da Violência e proclamamos com convicção o lema: “Em Cristo somos todos irmãos,” (Mt23,8). Como Região Pastoral 2 da Diocese de Itabira- Coronel Fabriciano nos reunimos na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Carneirinhos, cerca de 3000 pessoas de todas as paróquias do regional, foram calorosamente acolhidas pelo Pe. Marco José de Almeida, ouviram as Palavras de acolhimento do Vigário Episcopal Carlos Jorge Teixeira e oficialmente a abertura anunciada por nosso Bispo Diocesano Dom Marco Aurélio Gubiotti. Momentos de oração, reflexão, caminhada, celebração Eucarística, compromisso em buscar caminhos para superar a violência. Abertura aconteceu às 8 h na Praça do Povo com mesa da partilha no café, Ofício Divino da Juventude e as 9 h caminhada,  com paradas para testemunho e reflexão ,até a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, onde aconteceu a missa presidida pelo bispo diocesano , concelebrada pelos padres: Marco José de Almeida(Pároco, anfitrião), Pe. Geraldo Reis (Vigário da Paróquia Nossa Sra. da Conceição),Carlos Jorge Teixeira(Vigário Episcopal), Pe. Rafael e Pe. Flávio (Paróquia São José da Lagoa), Pe. Guilherme (Paróquia São Luis Maria de Montfort),Pe. Ricardo Caricati e Pe. Arlindo (Paróquia São Miguel de Rio Piracicaba), Pe. Elson Vidal (Paróquia São Domingos do Prata), Pe. Julio Martin ( Paróquia São Sebastião do Dionísio) e os Diáconos Permanentes: Geraldo Ponciano, Geraldo Afonso e Geraldo Luciano.

Dom Marco Aurélio destacou em sua homilia a quaresma como tempo favorável a viver a Campanha da Fraternidade, a nos renovarmos, encontrando Cristo vivo na sua Palavra, nos Sacramentos e no próximo. O Senhor – que, nos quarenta dias passados no deserto, venceu as ciladas do Tentador – indica-nos o caminho a seguir. vem a ser uma oportunidade ímpar para evangelizar e educar em prol de uma cultura de paz. “Toda violência exclui, toda violência mata”.

A ausência de amor e respeito é a fonte da quebra da fraternidade e consequente violência em todos os níveis em que essa se apresenta. Neste tempo quaresmal devemos cuidar para que a fraternidade aconteça de fato ,promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência.

Que o Espírito Santo nos guie na realização de um verdadeiro caminho de conversão, para redescobrirmos o dom da Palavra de Deus, sermos purificados do pecado que nos cega e servirmos Cristo presente nos irmãos necessitados. Que Deus nos fortaleça e conduza a construir caminhos para superação da violência e a vivermos a fraternidade.

“O Senhor, que tem compaixão das nossas pobrezas e nos reveste dos seus talentos, nos conceda a sabedoria de procurar o que conta e a coragem de amar, não com palavras, mas com obras” Papa Francisco.

Ana Maria de Sena


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *