PreCognição – número 5 – Falsa PreCognição: Imprecisão de Estilo

 

Introdução
            Para que o internauta compreenda bem este artigo sobre PreCognição – número 5 – Falsa PreCognição, precisa levar em conta que ele é sequencial. É bom que leia os números 1, 2 e 3.

Imprecisão de Estilo
            Em muitas profecias ou adivinhações se misturam expressões vagas e soltas que nada dizem, com dados pouco concretos e ainda poucos comprometedores e que dão impressão de uma coisa realmente concreta. Quando isso ocorre na visão da Escola de parapsicologia ligada ao Pe. Quevedo elas são PseudoPsiCognições. Elas aparecem em horóscopos, jornais e revistas, etc.
            Pe. Edivinho, parapsicólogo, ligado a escola de parapsicologia de Pe. Quevedo, dá um exemplo para compreendermos uma pseudoprecognição com imprecisão de estilo:
             “Um caso clássico de estilo ambíguo nos fornece o episódio daquele soldado, em vésperas de partir para o ‘front’. Foi ter com um vidente para saber se voltaria vivo ou se havia de morrer. Nesta última suposição deveria deixar tudo em dia com relação à herança, testamento, etc. para evitar futuras intrigas de família. O vidente lhe disse: Irás voltarás nunca perecerás na guerra.
            O homem interpretou tudo em seu favor, mas não se deu conta que a frase não tinha vírgula. Voltando, triunfa o vidente. Pois eu predisse: ‘Irás, voltarás, nunca perecerás na guerra. Perecendo no ardor da luta, e a família reclamando, o vidente dirá: ‘Não, vocês não compreenderam o que eu disse e escrevi. Foi o seguinte: Irás, voltarás nunca, perecerá na guerra’. (FRIDERICHS, 1997, p. 73).
            Pe. Edvino conclui este exemplo acima com esse pequeno comentário:
            “Pondere o leitor a esperteza do estilo vago e ambíguo. Os nossos videntes, cartomantes, sortistas, horoscopistas, astrólogos e idênticos, são mestres no arranjo de frases que possibilitam, ao depois, ‘tirar o corpo fora’”. (FRIDERICHS, 1997, p. 73).
            Este exemplo, é dado também por outro parapsicólogo da escola de parapsicologia de Pe. Quevedo, que é Pe. Raimundo Elias Filho, como foi dado no artigo número 4 sobre PreCognição neste site. Só que Pe. Raimundo o coloca na classificação das falsas PreCognições não como Imprecisão de estilo, mas como esperteza. E muda um pouco a formulação do exemplo.
            O importante nesse exemplo do soldado que foi a guerra, que serve para nos mostrar (Pe. Edivinho e Pe. Raimundo) a maneira de colocar esta questão como outras, pelos adivinhos, podem serem vistas tanto como esperteza ou Imprecisão de Estilo.

 

Conclusão
            Como já disse em outros artigos, a escola de parapsicologia ligado ao Sistema Grisa, não faz normalmente este tipo de abordagem e não analisa as pseudoprecognições. Esse tipo de análise é mais da escola de parapsicologia de Pe. Quevedo. Valter da Rosa Borges, de linha espirita, mesmo não descartando em seus escritos truques e fraudes nos fenômenos paranormais, não faz essa abordagem e analise de pseudoprecognições com a incisão da escola Pe. Quevedo de parapsicologia.

 

Referência Bibliográfica
QUEVEDO, Oscar G. A Face Oculta da Mente. 19ª edição. Edições Loyola, São Paulo – SP, 2003.
FRIDERICHS, Edivino Augusto. Panorama da Parapsicologia ao Alcance de Todos. 5ª edição. Edições Loyola, São Paulo – SP. 1997.
FILHO, Pe. Raimundo Elias. Mistério do Aquém e do Além à Luz da Parapsicologia. 2ª edição, Editora Paulus, São Paulo – SP, 2003.

 

Autor: Pe. Emanuel Cordeiro Costa
– Parapsicólogo Clinico – SINPASC – 409.
Especialização – Lato Sensu em:
Orientação Parapsicológica Social e Institucional
Pela FAVI – Faculdade Vicentina – Curitiba – PR.
Psicoterapia Holística: Hipnose
Terapeuta Holístico Credenciado – CRT 48326
– Paroquia Cristo Libertador
Ipatinga – MG – 02/03/18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *