Corpus Christi – Corpo e Sangue de Cristo (31.05.18)

Em muitas cidades, as ruas hoje se enfeitam para a procissão com o Santíssimo Sacramento. É um modo de manifestar a adoração a Cristo Jesus, presente de forma real no sacramento da Eucaristia, com seu Corpo e Sangue.

É importante e muito bom expressarmos nossos sentimentos em relação à Eucaristia, sacramento que alimenta nossa vida de fé. Mas é igualmente importante não perder de vista que o fundamento da Eucaristia é o próprio Senhor doando sua vida pela humanidade. E isso para que as procissões façam aparecer o que é central: o Senhor que doa a própria vida, partilhando-a como alimento.

Na Eucaristia, memorial da ceia do Senhor, Jesus Cristo é comida que se parte, é bebida que se distribui. E numa vida que padece e se doa até a morte pelos outros há bem mais de amor e compromisso do que de triunfo. Esse amor, que o levou ao compromisso, nosso Mestre nos deixou como memorial, para que, repetindo seu gesto de partilha da comida e da bebida, tivéssemos a certeza de que ele, ressuscitado, continuaria em nosso meio, alimentando-nos.

A beleza de solenidade de hoje, portanto, está no amor sem igual de nosso irmão Maior. E o melhor modo de demonstrar o que a Eucaristia significa para nós é repetir hoje seu gesto de amor: no rito, que renova sua presença e alimenta nosso compromisso, e também fora da celebração, para que o rito tenha significado em nossa vida e não seja simples formula. Pois quem assimila o Corpo e Sangue de jesus, assimila seu modo de ser e de agir.

A Eucaristia seja de fato expressão de nosso compromisso cristão de partilha a vida em comunidade. Assim é que nos tornamos membros do único Corpo de Cristo. Toda e qualquer demonstração extrema de nossa fé carregará então o genuíno sentido: gratidão por um Deus que se doa e se entrega na cruz, para ressurgir vitorioso.

Pe. Paulo Bazaglia
Liturgia Diária. Paulus, Maio 2018, p. 116

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *