VOTO EM LEGENDA – (21 Cartilha de Orientação Política)

 

Os dois primeiros dígitos do candidato indicam por qual partido ele concorre. Assim, ao votar no candidato, o eleitor vota primeiro no partido. E se o eleitor quiser votar somente no partido (na legenda), basta digitar os dois primeiros dígitos e confirmar. O voto será válido e beneficiará os candidatos daquele partido.

Após apurar os votos, cada partido soma a votação de todos os seus candidatos mais os votos para a legenda e, conforme o exemplo, a cada 180.000 votos elege um deputado.

A distribuição das vagas conquistadas é feita conforme a votação individual. Os candidatos mais votados do partido ganham as vagas, ficando os seguintes mais votados como 1º, 2º e 3 suplentes.

É devido a isso que o eleitor vota num candidato e acaba ajudando a eleger outro, pois vota primeiro no partido e depois na pessoa.

A vantagem das eleições proporcionais, conforme acima descrito, é que nenhum voto válido se perde, a não ser que o partido não consiga a quantidade de votos do quociente eleitoral. Ainda que o candidato em que o eleitor votou não seja eleito, ele ajudará a eleger alguém que é do mesmo ideário partidário.

A desvantagem é que esse sistema favorece os políticos profissionais que estimula a candidatura de pessoas famosas, para trazerem votos para seu partido.

 

Fonte: Cartilha de Orientação Política – CNBB Regional Sul 2, p.19-20.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *