DEPOIS DAS ELEIÇÕES – (30 Cartilha de Orientação Política)

 

O ANO Nacional do Laicato desafia os fiéis leigos a não ficarem indiferentes ao universo da política. Por isso, é necessário:

Estimular a participação dos cristãos leigos e leigas na política.

Impulsionar os cristãos a construir mecanismos de participação popular.

Incentivar e preparar cristãos leigos e leigas a participar de partidos políticos e serem candidatos para o Executivo e o Legislativo.

Mostrar aos membros das comunidades e à população em geral, que há várias maneiras de tomar parte na política: nos Conselhos Paritários de Políticas Públicas, nos movimentos sociais, nos conselhos de escola e também em eventuais coletas de assinaturas.

Animar e incentivar a criação de Escolas de Fé e Política nas dioceses e Regionais da CNBB.

Acompanhar os que exercem mandatos políticos no Executivo e no Legislativo; os que estão no Judiciário e no Ministério Público e também os que participam de Conselhos Paritários e de Políticas Públicas, a fim de que exerçam, nesses âmbitos, a sua missão profética, promovendo reuniões, encontros, momentos de oração e reflexão.

A Igreja, desde o Concilio Vaticano II, orienta: “Os católicos versados em politica e devidamente firmes na fé e na doutrina cristã não recusem cargos públicos, se puderem por uma digna administração prover o bem comum e ao mesmo tempo abrir caminho para o Evangelho” (Decreto Apostalicam Actuositatem, nº 14).

 

Fonte: Cartilha de Orientação Política – CNBB Regional Sul 2, p.31.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *