Meus 30 anos de vida sacerdotal

Ser padre para mim é graça e bênção. É consequência de uma vocação e a resposta de um chamado. Há 30 anos atrás senti forte este chamado, questionei, aprofundei e percebo a cada dia mais que é um grande dom, precioso, e que a gente leva em vasos de barro. sinto-me plenamente feliz e se eu tivesse de responder novamente, escolheria ser padre. Muitas alegrias nestes 30 anos de ministério, muitas lutas também (faz parte do ministério) mas nenhum sofrimento me fez desistir ou desanimar; pelo contrário, me fez ter mais força ainda para continuar a caminhada porquê dessa forma também estou a imitar Nosso Senhor Jesus Cristo no Seu sofrimento, nas Suas dores, mas em tudo Ele buscou fazer a vontade do Pai. A vocação presbiteral não é mérito pessoal, mas escolha do Senhor: “Não fostes vós que me escolhestes, mas eu é que vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto” (Jo 15,16). Eu tenho certeza de que o Amor de Deus tem me sustentado durante toda esta minha caminhada…

Eu, Emanuel Cordeiro Costa, sou natural de Mutum- MG. Nasci em 08/09/1958, filho de Norvalino Francisco Costa e Irany Maria Cordeiro Costa. Minha mãe faleceu logo após meu nascimento… Sinto não poder ter desfrutado de seu amor e carinho materno, mas sei que ela de junto de Deus sempre olhou por mim e me entregou a Mãe Santíssima para me guiar e proteger…Fui criado e educado por minha avó paterna Francisca e meu pai até os 11 anos, quando meu pai casou de novo com D. Irene Mendes Costa, que me acolheu como filho e acompanhou minha vocação… Desta união tenho dois irmãos, Norvalino Mendes Costa e Manoel Ignácio Mendes Costa, que são amigos e companheiros,,,,

Cresci em um ambiente profundamente religioso, acompanhava o pároco como coroinha em quase todas as missas. Aos poucos fui sentindo mais forte um chamado para viver uma experiência maior de entrega e serviço. No início de 1981, sob o embalo da visita de João Paulo II ao Brasil em 1980, decidi ingressar no seminário…

– Ordenei diácono no dia 12 de outubro de 1988, em Divinópolis na Paroquia Nossa Senhora de Fátima no bairro Porto Velho, ali fiquei até o final de 1988. No ano seguinte fui para a cidade de Claudio continuar meu estágio diaconal com Pe. Roberto então pároco da Paroquia de Claudio. E me ordenei Padre pela imposição das mãos de Dom José Costa Campos, em 02 de abril de 1989, na Paroquia de Nossa Senhora Conceição Aparecida, cidade de Claudio, onde permaneci como Vigário Paroquial até final de 1989.

– Quando estava como Vigário Paroquial na Cidade de Cláudio em 1989, no dia 22 de agosto do mesmo fui designado como Coordenador da Pastoral Missionária Diocesana.

– Início de 1990 tomei posse na Paroquia São Cristóvão em Divinópolis, como pároco, ficando lá pouco tempo até junho de 1990. Neste mesmo período atuei como vigário Paroquial numa outra comunidade ligada a Catedral que foi a Igreja de São Sebastião no Bairro Afonso Pena em Divinópolis.

– 07 de fevereiro de 1990 fui designado para Coordenar a Pastoral da Juventude Diocesana. Além da Pastoral Missionaria, estava com as Paroquias de São José Operário e Nossa Senhora do Desterro.

– Junho de 1990 deixando de ser Pároco da paroquia São Cristóvão e Vigário, da Igreja de São Sebastião, ligada a Catedral, fui nomeado pároco da Paroquia São José Operário em Divinópolis. (São Judas ainda não era paroquia e pertencia a São José Operário). Fiquei na Paroquia de São José até 28 de janeiro de 1996.

– Em junho também de 1990, quando iniciei como Pároco da Paroquia São José Operário em Divinópolis, assumi a Administração Paroquial da Paroquia Nossa Senhora do Desterro em Marilândia. Em Marilândia fiquei um bom tempo enquanto era Pároco da Paroquia São José.

– No dia 10 de fevereiro de 1996, tomei posse como Administrador Paroquial da então Quase-Paroquia de Nossa Senhora Aparecida em Itaúna. No dia 10 de outubro de 1996 a Quase Paroquia foi transformada em Paroquia de Nossa Senhora Aparecida e me tornei Pároco da mesma. Fiquei nesta até janeiro de 2001.

– Do final de janeiro e Início de fevereiro de 2001 tive como Pároco, uma passagem rápida pela Paroquia de São Pedro em Pará de Minas.

– Em fevereiro, no dia 21 do ano de 2001 tomei posse como Pároco na Paroquia São Sebastião em Juatuba. Lá fiquei até janeiro de 2005.

– Final de Janeiro de 2005 tomei posse como Pároco na Paroquia São Joaquim em São Joaquim de Bicas. Lá fiquei até 31 de agosto de 2008.

– No dia 07 de setembro, iniciei uma experiência nova na Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano. Tomei posse como Administrador Paroquial na paroquia de São Miguel na Cidade de Rio Piracicaba. Nesta paroquia fiquei até janeiro de 2012.

– Em fevereiro de 2012 tomei como Administrador Paroquial na Paroquia de Nossa Senhora da Piedade em Itabira. Fiquei nesta paroquia até janeiro de 2016.

– No dia 02 de fevereiro de 2016 tomei posse, como Administrador Paroquial, na Paroquia Cristo Libertador em Ipatinga, onde me encontro até hoje.

– Na Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, de 2009 a 2013, fui designado Diretor Espiritual para os seminaristas. Em 2009 estava no regional 2 da Diocese de Itabira, passei a assessorar no Regional a Catequese, o mesmo aconteceu quando estava no Regional 1, e no regional 3 ainda continuo como Assessor Regional da Catequese.

Assim tenho procurado responder ao chamado que o Senhor me fez nestes 30 anos. Sou muito feliz em poder está vivenciando esta minha vocação na Edificação de nossa Igreja e do Reino de Deus.
Abraço Fraterno a Todos,
Pe. Emanuel Cordeiro Costa
Administrador Paroquial
Paroquia Cristo Libertador – Ipatinga – MG


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *