A Aliança – Bíblia nº 18

Introdução
A Saída do povo hebreu do Egito foi uma passagem muito importante da sua história. O fato foi uma experiência marcante em que o povo sentiu a ação de Deus na caminhada da libertação. O povo reconheceu a ação de Deus e comprometeu-se com ele, fazendo uma aliança.

Situação daquela época
Encontramos uma lista de nomes de lugares por onde os hebreus passaram, no capítulo 33 do livro de Números. É mais provável que caminharam para o sul, em direção ao Monte Sinai, onde acamparam. Isso aconteceu, segundo alguns estudiosos da Bíblia, três meses após a saída do Egito. Aí, Moisés subiu ao monte. Para o povo daquele tempo, subir ao monte Sinai significava chegar mais perto de Deus. Deus mandou Moisés reunir o povo, pois queria falar com ele. Para esse encontro o povo deveria jejuar, purificar-se e não ter relações sexuais com suas mulheres durante três dias. No terceiro dia pela manhã havia uma intensa serração, muita fumaça, relâmpagos e trovões. Foi nesse dia que Deus falou com todo o povo (Êx 19).

O que a Bíblia nos conta
Eu vi a miséria do meu povo que está no Egito. Ouvi o seu clamor por causa dos seus opressores. Por isso, desci afim de libertá-lo da ação dos egípcios…(Êx 3, 7-8).

A libertação é a continuação da obra da criação. Os dez mandamentos foram armas que Deus deu ao povo para buscar a sua plena libertação. O sistema idealizado no deserto era de uma vida de igualdade de todos. Organização do povo fraco contra a tentação do poder e da ganância. Todos se comprometiam uns com os outros e prometiam crer e ser fiéis ao único Deus. Era o propósito de um relacionamento de libertação entre todos para viverem mais plenamente. Os dez mandamentos indicavam o caminho para:

– Conservar a liberdade conquistada;

– Viver na justiça e fraternidade;

– Ser um povo organizado;

– Chegar à prática do amor ao próximo.

Conteúdo dos mandamentos

1º Mandamento – Afirma que Javé é o único Deus que ouve o clamor do povo oprimido. É a presença libertadora no meio do povo. Para pertencer a esse povo, a primeira exigência era: abandonar todo o sistema dos falsos deuses.

2º Mandamento – O faraó dizia que era dono das terras e riquezas, em nome de deus. O nome de deus servia para encobrir todas as injustiças, roubos e mordomias. Por este mandamento Deus proíbe usar seu nome para dominar, oprimir e explorar o povo.

3º Mandamento – Este mandamento proíbe a escravidão pelo trabalho. O descanso de um dia é um direito de todos para participar na vida da comunidade, na celebração da vida e conviver com todos.

4º Mandamento – Deus manda respeitar os pais da família de cada um, a família patriarcal, os anciões e os líderes da comunidade.

5º Mandamento – Defende o direito à vida. Só Deus é dono da vida, que deve ser respeitada a própria imagem de Deus.

6º Mandamento – Proíbe a traição ao irmão. Exige um relacionamento de igualdade, de amor e fraternidade entre as pessoas, que deve atingir até a vida intima delas, o casamento, evitando o adultério.

7º Mandamento – Deus quer uma nova organização em que não haja roubos nem legais nem ilegais. Este mandamento ajuda a confiança mutua e promove a segurança da vida comunitária.

8º Mandamento – A verdade deve ser a base das relações entre as pessoas. A mentira escraviza, a verdade liberta. E Deus quer os homens livres.

9º e 10º Mandamento – Além de não roubar, precisam os homens arrancar de dentro de si a ganancia e a cobiça, o desejo de possuir e acumular coisas em prejuízo dos irmãos.

Ler Êxodo 20, 1-21.

O que a Bíblia nos ensina
Os dez mandamentos são as normas necessárias para a concretização do projeto de libertação do povo de Deus. As palavras foram gravadas em duas pedras que o povo guardava com muito respeito e carinho dentro de uma arca, que se chamou “Arca da Aliança”, pois continha as pedras que eram o sinal da presença de Deus no meio do seu povo (Êx 34).
O povo se reuniu em Assembleia em Siquém e, aí, renovou a sua aliança com Deus. Todo o povo se prostrou diante de Deus e confirmou o compromisso de estar sempre com Deus numa vivencia fraterna. Foi lembrada, nesse dia, toda a história do povo desde o tempo de Abraão.

Leitura do livro de Josué, capítulo 24, 1-28.

 

Fonte: A Bíblia nas Mãos do Povo – Encontros para os Grupos – Antigo Testamento Lourenço Gauci. AM Edições. São Paulo 1994. Páginas 38, 39 e 40.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *