O Livro dos Reis – Bíblia nº 20

Introdução
A primeira edição do livro dos Reis foi com certeza realizada no tempo do rei Josias. O elogio do rei (II Re 23,25) seria a conclusão desta primeira obra. Não houve antes dele nenhum rei tão fiel a Deus e à lei de Moisés. Durante o cativeiro foi feita uma segunda edição, por volta de 562 a.C. O II Reis 25, 29 faz referência aos favores concedidos ao rei Joaquim, que foi o último sucessor do rei Davi.

O que o livro dos Reis nos conta
A organização política e social do tempo de Josué e dos Juízes começou a se tornar fraca. Os Juízes não solucionavam os problemas do povo. O povo foi perdendo a fé em Javé e o projeto comunitário foi desmoronando. O povo pediu um rei a Samuel. Como os outros povos, o povo, também, queria ter um rei. Samuel explicou ao povo os direitos do rei e os riscos de opressão que o povo correria nesse sistema. O povo, porém, insistiu e Samuel atendeu seu pedido. Assim, o desejo do povo fez retornar o sistema piramidal, em que as classes mais pobres são sufocadas pelos mais ricos e poderosos.

A Monarquia
Primeiro rei: Saul – 1030 a.C.: O povo escolheu Saul para ser o seu primeiro rei e Samuel o ungiu. Por algum tempo, ele foi um bom rei: justo, amado pelo seu povo, procurava o bem de todos. Mas, com o passar do tempo, começou a explorar o povo (I Sam 8).

Segundo rei: Davi – 1010 a.C.: Davi era secretário de Saul. Era músico e tornou-se herói ao derrotar o gigante filisteu chamado Golias. Quando Saul morreu, Davi foi aclamado rei. Davi organizou o povo e promoveu a sua união e escolheu Jerusalém como capital de Judá. Cometeu um grave pecado de adultério, mas quando o profeta Natã o censurou, ele se arrependeu e fez penitência. O salmo 50 (51) revela todo o seu reconhecimento da culpa e arrependimento (II Sam 2 e ss).

Terceiro rei: Salomão – 970 a.C.: Foi um rei muito inteligente. Construiu o templo de Jerusalém. Fez muitas alianças políticas e usou o nome de Deus para atingir os seus objetivos de ganância e poder. Tomou terras do povo e cometeu as piores injustiças contra o povo, aumentando a sua riqueza e tornando o povo cada vez mais pobre. Fez a idolatria se propagar no meio do povo de Deus, trazendo deuses dos países das mulheres com quem se casava. A religião era vazia e falsa. Após sua morte o reino se dividiu em Reino do Norte e Reino do Sul (I Re 3 e ss).

A divisão do Reino
Depois que Salomão morreu houve muitas lutas políticas e o reino acaba se dividindo em dois: Um do Norte e o outro do Sul. O reino do Norte não aceita o filho de Salomão como rei. Era o reino de Israel. O reino do Sul ficou fiel à família de Davi, recebendo o nome de reino de Judá (I Reis11, 29-36). De um reino forte e unido de Davi até Salomão, torna-se um reino dividido, acaba destruído e no exílio da Babilônia.

Finalidade do livro
O livro dos Reis procura mostrar ao povo que Deus é o único Senhor da História, comprometido com a vida do seu povo. A destruição que atingiu os reinos de Judá e de Israel foi o resultado da falta de fidelidade e de fé, da corrupção moral e religiosa e o abandono de Deus.

O que a Bíblia nos ensina
Com a divisão do reino houve vários reis tanto no Norte como no Sul. O povo era vítima da guerra, que causava grandes problemas, a injustiça social, com a exploração dos mais fracos e a idolatria dos reis, que levava o povo ao abandono da fé em Deus.

Ao denunciar o mal da divisão, a bíblia oferece a cada um de nós um alerta para lutar contra as divisões e desentendimento na comunidade e na fé.

Vamos ligar a bíblia com a nossa vida

  1. O que aprendemos com nosso estudo do livro dos Reis?
  2. Que relação existe entre a lição da história contada no livro dos Reis e a vida do nosso povo de hoje?
  3. De que maneira somos governados hoje?

 

Fonte: A Bíblia nas Mãos do Povo – Encontros para os Grupos – Antigo Testamento Lourenço Gauci. AM Edições. São Paulo 1994. Páginas 45, 46, 47 e 48.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *